Ministério da Saúde e Anvisa proíbem dois produtos que utilizam mercúrio

Os termômetros e esfigmomanômetros (aparelhos para verificar a pressão arterial) que utilizam coluna de mercúrio para diagnóstico em saúde serão proibidos para a fabricação, importação e comercialização a partir de 1º de janeiro de 2019.

Além disso, a determinação também desautoriza a utilização destes equipamentos em serviços de saúde, que deverão realizar o descarte dos resíduos sólidos contendo mercúrio, de acordo com a resolução da ANVISA RDC nº 145/2017.

A nova medida foi aprovada pelo Ministério da Saúde e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a fim de cumprir o compromisso assumido pelo Brasil na Convenção de Minamata, que debateu os riscos do uso do mercúrio para a saúde e para o meio ambiente.

Segundo a diretora do Departamento de Saúde do Trabalhador e Saúde Ambiental do Ministério da Saúde, Daniela Buosi a convenção assinada pelo Brasil e mais 140 países, em 2013, pretende eliminar o uso de mercúrio em diversos produtos que apresentam o elemento químico na composição, como por exemplo pilhas, lâmpadas e equipamentos para saúde. A diretora ressalta que o mercúrio pode causar problemas ao sistema nervoso central e à tireoide, caso a exposição ao material ocorra por longos períodos.

A única exceção é para as pessoas que fazem uso doméstico dos termômetros de mercúrio, a Resolução não proíbe esse caso. Entretanto, é necessário cuidado com o armazenamento e manipulação do equipamento para que não ocorra a que quebra do vidro.

Sobre o descarte do material, Buosi pede que mantenha provisoriamente em casa até a divulgação pelo Ministério da Saúde e Anvisa dos pontos de recolhimento, que serão divulgados em breve.

O Ministério da Saúde alerta para os cuidados que devem ser tomados caso o equipamento contendo mercúrio quebre:

  • Isolar o local e não permitir que crianças brinquem com as bolinhas de mercúrio
  • Abrir as janelas para arejar o ambiente
  • Recolher com cuidado os restos de vidro em toalha de papel ou luvas e colocar em recipiente resistente à ruptura, para evitar ferimento
  • Localizar as “bolinhas” de mercúrio e juntá-las com cuidado, utilizando um papel cartão ou similar, evitando contato da pele com o mercúrio. Recolher as gotas de mercúrio com uma seringa sem agulha. As gotas menores podem ser recolhidas com uma fita adesiva
  • Transferir o mercúrio recolhido para um recipiente de plástico duro e resistente ou vidro, colocar água até cobrir completamente o mercúrio a fim de minimizar a formação de vapores de mercúrio, e fechar o recipiente
  • Identificar/rotular o recipiente, escrevendo na parte externa “Resíduos tóxicos contendo mercúrio”
  • Não usar aspirador, pois isso vai acelerar a evaporação do mercúrio, assim como contaminar outros resíduos contidos no aspirador.

Segundo a Anvisa, os Serviços de Saúde que possuírem medidores de pressão ou termômetros de coluna de mercúrio utilizados como padrão de referência para calibração interna de outros equipamentos dos serviços de saúde, deverão utilizar uma etiqueta informando: “Produto utilizado como padrão de referência para calibração”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *